quinta-feira, janeiro 19, 2017

Fernando Pessoa com fotos da Costa da Califórnia




"Boiam leves, desatentos
Meus pensamentos de mágoa,
Como no sono dos ventos,
As algas, cabelos lentos






Do corpo morto das águas.
Boiam como folhas mortas,
A tona de águas paradas.
São coisas vestindo nadas,









Pós remoinhando nas portas
Das casas abandonadas.
Sono de ser, sem remédio,





Vestígio do que não foi,
Leve mágoa, breve tédio,
Não sei se para, se flui;
Não sei se existe ou se dói."
Fernando Pessoa



quinta-feira, janeiro 12, 2017

Viagem Peru/Colômbia/Equador: informações solicitadas


Lima - Parque do Amor - O Beijo
Decidi fazer um resumão que respondesse  a perguntas que me são feitas sobre o roteiro  Peru, Colômbia e Equador. Espero que  minhas informações lhes sejam úteis e facilite boas viagens a esses países tão interessantes e bons de visitar.


Lima - Miraflores
A viagem toda foi feita pela AVIANCA, uma empresa sem luxo, mas  com bom atendimento tanto na aeronave, quanto no check-in. Tem funcionários bem treinados.  Telefone geral dessa empresa é : 0800 286 - 6543 ou em:  https://www.avianca.com.br/informacoes_sobre_viagens. É membro da Star Alliance. Pontuei as milhas para a TAP.


Colômbia - Bogotá - Candelária


Como qualquer outra companhia, paga-se muito menos se as passagens forem compradas com antecedência. Costumo comprá-las ao menos três meses antes e fazer os textos intermediários  com a mesma empresa, salvo quando encontro boas ofertas em Vôos low cost - os de baixo custo. Desta vez, também foi assim : antecedência e todos os trechos pela AVIANCA. Viajei somente com bagagem de cabine.


Jardim interno do Museu Botaro em Bogotá

Informo, a seguir, o tempo de duração dos vôos que fizemos. De Porto Alegre a Lima, são, aproximadamente, cinco horas de vôo ( direto);  de Lima para Bogotá, cerca de três horas; de Bogotá a Quito, uma hora e 40 minutos. Na volta, do Equador a Lima, duas horas e vinte minutos e de Lima a Porto Alegre, cerca de cinco horas. Fiz esse último trecho à noite: dormi um bom sono...


Colômbia - Bogotá - Bairro Usaquen

Por lembrar que o uso de táxi era um pouco complicado nesses países, contratei transfers aeroporto / hoteis. Fiz bobagem. Não era necessário isso. Poderia ter utilizado táxi comum, desde que fosse oficial - o que se identifica até pela fila onde eles estão. Paguei na  chegada o dobro do que paguei na saída. Nos três países, foram os hoteis que providenciaram nosso translado. Não esqueçam, entretanto, de acertar o preço antes - regra de que não se deve fugir.


Quito , visto da Fundação Oswaldo Guayasamin

Tanto no Peru, quanto na Colômbia, para translados frequentes, chamávamos sempre o mesmo carro, com o mesmo motorista. Na Colômbia, foi uma senhora muito gentil, disponível e educada. No Peru, um menino tranquilo e bom motorista, acredito que funcionário do próprio hotel, conduzia-nos aos lugares mais distantes. O custo é pouco mais que um táxi comum, mas a segurança é bem maior. No Equador, contratamos tours de um dia inteiro.


Bogotá - Quinta onde viveu Simão Bolívar

Há bons restaurante nos três paises, com preços iguais ou menores que os preços praticados no Brasil. Como não vivo sem café, considerei a rede de cafeterias Juan Valdéz, na Colômbia, o melhor lugar para ir. Também na Colômbia, o famoso André Carne de Res, é excelente. No Equador, fomos a restaurantes ótimos na região de Mariscal. No Peru, eu poderia viver só comendo batatinhas amarelas e carne de pato. Arepas eram sempre bem - vindas, no café da manhã ou nas refeições - deliciosas!


Equador - Passeio tradicional  à Metade do Mundo

Minha sugestão do que ver restringe-se apenas às capitais - penso retornar a esses países para um minucioso recorrido a outras cidades, que listarei no último tópico desta postagem. Em Lima, parece - me indispensável visitar Praça das Armas, Praça San Martin, Convento de San Francisco, Catedral de Lima, Palácio do Governo, Museu do Ouro, Huaca Pucllana, Parque do Amor, Mercado Inca, Museu Larco,  Biblioteca Nacional,  Centro Histórico e os  bairros Miraflores, Barranco e San Isidro. E não deixe de visitar as espetaculares Fontes de Lima.


Peru - Fontes de Lima

Os Museus de Arte  justificam , por si só, uma viagem a Bogotá. Não se pode deixar de ver o Museu Botero, o Museu do Ouro e o Museu de Arte do Banco da República e, ainda,  o Centro Cultural Gabriel Garcia Márquez. Não se pode deixar de percorrer a Zona Rosa  o Histórico Bairro da Candelária, com suas construções coloniais, igrejas, museus, praças, bares e cafés. Convém visitar o Cerro de Monserrate, que se pode acessar por teleférico ou funicular. Convém visitar também a Quinta de Simón Bolívar e caminhar por seus jardins.


Equador - Agricultura em cratera de vulcão, próximo ao Pacífico

Não é por acaso que a cidade de Quito está no início das indicações de Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Tem um Centro Histórico belíssimo, campacto e muito bem preservado. Para encantar-se já no primeiro passeio, vá à Praça da Independência e veja a Catedral, o Palácio e a Igreja da Companhia de Jesus - toda decorada com ouro é a mais importante obra do período Barroco. Caminhe pelo Centro, observando a bonita gente do país.


Quito visto dos jardins da Fundação Oswaldo Guayasamin

Vá ao Parque Ejido e ao Parque Mitad del Mundo e aproveite para ver os arredores de Quito. Veja, com calma, a Praça e a Igreja de São Francisco e a Basílica, que foi inspirada na Notre Dame de Paris. Gaste ao menos duas horas para a imprescindível visita a Casa - Museu de Oswaldo Guayasamin, o maior pintor equatoriano, e sua comovente Capilla del Hombre, dedicada aos povos da América Latina.

Minha melhor compra - figos deliciosos

Penso que ultrapassei a fase das compras em viagem. Aumento de bagagem me proporciona terríveis pesadelos. Vou contar, no entanto, o que poderia ter comprado. No Peru, compraria roupas, lençois e toalhas, camisas e tecidos em metro, tudo em algodão nacional. Lembrem que o algodão peruano é considerado o segundo melhor do mundo - ultrapassado somente pelo algodão egípcio.


Esmeraldas colombianas

Na Colômbia, encontram-se muitas joias com esmeraldas - grande riqueza colombiana , mas só comprem  em lugares que fornecem  certificação.  Comprar café colombiano é ação quase obrigatória - minha única compra no país foi um mix de café para experimentar em casa. No Equador, compra-se café, chocolate e roupas de inverno. As roupas são bonitas  e de excelente qualidade - comprei luvas, por muito bom preço, em Otavalo


Oswaldo Guayasamin

Sobre segurança na região, os cuidados são os mesmos que bem conhecemos. Recebi, em Quito, no Hotel Real Audiência, onde me hospedei, um folheto com alguns conselhos ao turista, tais como: Leve sempre  cópia de seu passaporte - deixe o original,  dinheiro e joias nas caixas de segurança do hotel. Continuam sugerindo:


Equador - Quito - Basílica

" Contrate o serviço de táxi desde o hotel; se vai sair à noite, contrate táxi para a ida e volta; leve seu dinheiro no bolso de dentro da roupa e na quantia estritamente necessária; quando viajar de uma cidade para outra, leve os objetos de maior valor junto com você - não os entregue a ninguém nem os deixe sobre sua cabeça; não deixe telefone, câmera ou bolsa à vista, dentro de táxi ou de carro" ( mesmo na Europa, acontece de motos pararem ao lado do carro, quebrarem o vidro e levarem bolsas ou objetos de valor, que estavam no banco traseiro do carro. Nada que a gente já não conheça...


Colômbia - Bogotá -Museu do Ouro

Fiz alguns bate-e-volta, por pouco mais de cem dólares, com duração de um dia. Os mais interessantes foram a Zipaquirá, na Colômbia e a Otavalo, no Equador. No Peru fiquei somente em Lima, por ser um país que conheço bem. Como sempre acontece - até quando.... não tenho previsão - voltei com uma listinhas de cidades para ver quando retornar à região, como Medellin, Cali, Cartagena, na Colômbia; Baños, Cuenca e Guayaquil, no Equador. Enchallah !


Peru - Fontes de Lima

sábado, janeiro 07, 2017

Fernando Pessoa: Texto

Tunisia - Oasis

" Às vezes, em sonho triste
Nos meus desejos existe
Longinquamente um país
Onde ser feliz consiste
Apenas em ser feliz.



Egito - Rio Nilo

Vive-se como se nasce
Sem o querer nem saber,
Nessa ilusão de viver
O tempo morre e renasce
Sem que o sintamos correr



Marrocos

O sentir e o desejar
São banidos dessa terra,
O amor não é amor
Nesse país por onde erra
Meu longínquo divagar



Bulgária - Sofia

Nem se sonha nem se vive:
É uma infância sem fim.
Parece que se revive
Tão suave e viver assim
Nesse impossível jardim."

Fernando Pessoa



Áustria - Viena

Tenham um fim de semana agradável, que lhes anime para continuar a jornada, ser curioso e gentil.

terça-feira, janeiro 03, 2017

Otavalo, outra atração do Equador


A caminho de Otavalo

Leva-se normalmente cerca de duas horas de Quito a Otavalo, apesar da distância ser pouco mais de cem quilômetros. A estrada é muito movimentada, mas é bastante bonita. Como o dia estava claro, foi possível ver bem dois vulcões: o Imbabura, com 4609 metros, e o Cotacachi, com 4939 metros. Fomos de carro, pois optamos por um tour individual - das 8h às 19h.


Lagoa de Cuicocha

Fomos pela rodovia Panamericana ( E35 ). No caminho, fizemos duas paradas para tomar café ( sem café, nem enxergo bem a paisagem!). Paramos , uma vez, no município de Cayambe, famoso pela produção de biscoitos, que são assados em forno a lenha e servidos com acompanhamento de queijo de folha ( fatia bem fininha), também típico da região. Outra parada foi numa cidade famosa pela produção e exportação de rosas.

Representação de danças típicas

Apesar de ser uma cidade pequena - mais ou menos 30 mil habitantes - Otavalo tem uma das maiores, se não for a maior, feira indígena da América do sul e o maior mercado a ceu aberto do mundo - assim dizem os equatorianos. O grande dia do mercado é sábado, quando turistas e habitantes locais vêm fazer suas compras. Pareceu-me que as malhas de alpaca é que fazem o maior sucesso com os turista - são lindas mesmo!


Colorido artesanato local

Quarta-feira também se pode visitar a parte do Mercado que, em barraquinhas, está localizada na Praça dos Ponchos. Há muito o que ver : roupas, em especial, as roupas de inverno, como mantas, casacos, blusões, blusas , ponchos, meias, luvas, gorros andinos e roupas infantis; bolsas e mochilas de couro e de tecido; brinquedos  feitos com madeira; alimentos, tapetes, peças de decoração, pinturas e esculturas.... e muita coisa mais...


Comprei três pares de luvas por 12 dólares

Impressionou-me bastante  a limpeza das ruas, mesmo com uma feira tão grande e visitada por tantas pessoas. Impressiona também - e encanta - a beleza das pessoas da localidade, com as roupas típicas de sua cultura, usando-as inclusive para ir à escola e para trabalhar. Homens e mulheres usam cabelos longos, em geral tranças.


Uso de trança conforme etnia

Os homens não cortam nunca os cabelos. Usam uma longa trança. Cortar os cabelos significa romper con sua etnia. Mesmo em Quinto, na capital, vê-se, o tempo todo, estudantes, operários, pessoas em geral, usando cabelos trançados e roupas tradicionais.


Uso de roupas tradicionais na escola

Considero que visitar o Mercado de Otavalo, de preferência no sábado, e conhecer o Lago de Cuicocha - que está numa cratera vulcânica - é verdadeiramente imprescindível para quem visita o Equador. Experimentar as saborosas frutas equatorianas é altamente aconselhável, incluindo as bananas, já que o país é o maior produtor mundial dessa fruta. 


Maquete da área de Cuicocha

Foi nesse passeio a Otavalo  que, pela primeira vez, comi Locro de Papas con Queso, uma sopa estupenda, tipicamente da serra equatoriana. É feita com batatas, manteiga, alho, cebola, água, leite,queijo, sal, temperos  e tiras ou quadrados de abacate. 



Locro de batatas e queijo



Quem vai ao Equador -  encantadora visita na América do Sul -  deve mesmo ir a Otavalo,  Capital Intercultural do Equador, ponto de comércio dos Incas durante o século XV, embora já existisse, no período pré-incaico como mercado de trocas. Situada na Cordilheira, sua altitude é de 2 500 metros.

Tradicional design
A partir de Quito, pode-se chegar a Otavalo de carro ou de ônibus - da Estação Rodoviária ao Mercado são quatro ou cinco quadras. Penso, no entanto, que convém contratar - por 120 dólares - um tour individual, que possibilita fazer paradas em cidadezinhas bem interessantes, tomar café e ver lagoas belíssimas. Se não resistir e comprar algumas peças de lã de lhama e  alpaca, elas vão estar no carro durante os passeios e só vão ser carregadas na chegada ao hotel. Facinho, facinho.


Artesanato feito em áreas indígenas

"Cada um cumpre  o destino que lhe cumpre,
E deseja o destino que deseja;
Nem cumpre o que deseja,
Nem deseja o que cumpre.







Como as pedras na orla dos canteiros
O Fado nos dispõe, e ali ficamos;
Que a Sorte nos fez postos
Onde houvemos de sê-lo.


Lagoa em cratera de vulcão

Não tenhamos melhor conhecimento
Do que nos coube que de que nos coube.
Cumpramos o que somos.
Nada mais nos é dado.

Fernando Pessoa


O tapete que eu tive vontade de comprar


sexta-feira, dezembro 30, 2016

Mensagem de Ano Novo - 2017

Jardins de Monet - França

Meu desejo para 2017:

- diminuir o uso da palavra  depois e encarar a transitoriedade da vida.

....e para  leitores e leitoras  do correndomundo:

- ânimo, alegria e viagens belíssimas.

Beijos


Jardins de Monet - França

sábado, dezembro 24, 2016

Mensagem de Natal

Sejam felizes no Natal.
Na minha idade, tem-se um sonho: que o Natal seja como um dia qualquer...
Beijos


"Natal... Na província neva.
Nos lares aconchegados,
Um sentimento conserva
Os sentimentos passados.
Coração oposto ao mundo,
Como a família é verdade!
Meu pensamento é profundo,
Estou só e sonho saudade."

Fernando Pessoa


Princeton - USA

quarta-feira, dezembro 21, 2016

Viagens/2016 : Momentos Especiais: 3a. Parte

Arquitetura Tradicional em Lima: Centro Histórico

Sei bem que conhecer Lima não é conhecer o Peru. Como, em outras vezes, tracei o País, nesta viagem  dediquei - me à Capital -  que me encantou muitíssimo. Além do Centro Histórico e dos tradicionais bairros - Miraflores, San Isidro e Barranco - existem atrações que surgiram nos últimos anos, como o fantástico Complexo de Fontes Eletrônicas, inaugurado em 2007.


Fonte da Vida, uma das mais bonitas.


No Centro Histórico, encantei-me com a Plaza Mayor, onde estão o Palácio do Governo, o Palácio Municipal e a Catedral; caminhei pelo Calçadão até a bonita Plaza San Martín, onde há belos edifícios coloniais e, nas proximidades dessas praças, muitas antigas igrejas e conventos. Lugares agradáveis para longas caminhadas.




Huaca Pucllana

Há, entretanto, que ir além do Centro Histórico e visitar, por exemplo, Huaca Pucllana, sítio arqueológico que está em pleno bairro de Miraflores. E já que se está em Miraflores, visitar o Shopping Larcomar , a céu aberto -  não é uma sugestão para compras...mas para ver a arquitetura e deslumbrar-se com a vista do Pacífico. Se ficar tarde, pode-se jantar no Barranco, lugar de música e diversões. Os pacotes turísticos, no entanto, para jantar e assistir a shows, estão mais para roubadas - comida ruim e música quase isso.

Pedro, mirando o Pacífico, em Miraflores

Voltei do Peru me perguntando por que eu pouco visitava este País tão encantador e facilmente acessado desde Porto Alegre, ainda que seja para fazer compras necessárias - afinal o algodão peruano é considerado o segundo melhor do mundo, depois apenas do egípcio. Prometi, a mim mesma, retornar em 2017 - a mesma promessa que acabei me fazendo quando saí da Colômbia e, mais ainda, do Equador. Inshallah!


Parque do Amor em Miraflores - à Gaudí.

Bogotá, cidade em que passear pela histórica Candelária já justifica uma viagem, há, no entanto, muito mais atrações, mesmo que se tenha como alvo apenas a Capital da Colômbia.Cidade fácil de movimentar-se....de táxi... Minha dificuldade inicial foi  entender a lógica da diagramação local , com suas calles ( C ), avenidas ( Av. ) e carreras ( Cra. ), umas de norte a sul; outras de leste a oeste. As montanhas de Monserrate e de Guadalupe contribuíram muito para minha orientação.

Candelária

No dia da chegada, já visitei e me encantei com o Centro Cultural Gabriel García Márquez por duas razões: ali funciona o moderno Café Juan Valdez, de uma rede semelhante ao Starbucks - mas com o delicioso café colombiano; e ali também encontrei uma livraria grande e com ambiente ótimo, que me fez sair dela com quilos a mais de bagagem.


Fernando Botero
Outro motivo da minha visita à Bogotá: ver museus de arte, em especial o Museu Botero, localizado na Candelária, que reúne 123 obras desse artista - um dos mais bem cotados da América Latina. Imperdível também o Museu do Ouro, com 5 mil peças em exposição e o Museu de Arte do Banco da República, com mais de 3500 obras nacionais e internacionais. Faltou-me disponibilidade de tempo para ver o Museu Igreja de Santa Clara e o Museu Internacional da Esmeralda.


Arte Pública -  em frente ao Cemitério dos NN encontrei este Botero

Entre outras visitas especiais, foi agradável ver a Praça Bolívar, conhecida como o coração da cidade, que tem, ao seu redor, o prédio do Congresso Nacional, a Prefeitura, o Palácio da Justiça e a Catedral - as catedrais são meus pontos de referência  para começar a conhecer qualquer cidade - afinal, a igreja sempre soube se colocar muito bem.


Teleférico para Monserrate
Para chegar ao alto do Cerro de Monserrate, que tem 3150 metros de altitude, pode-se usar teleférico, que eu odeio - ódio que só é superado pela curiosidade - ou funicular. No alto do Cerro, de onde se tem uma vista belíssima de Bogotá, há uma igreja e um restaurante; ao pé do mesmo cerro, está a Quinta de Bolívar, a mansão colonial - hoje museu -  residência de Simón Bolívar.


Lugar de comidinhas em Usaquém, bairro  que parece una pequena cidade.

Da Colômbia, viajamos para o Equador,  país que eu não conhecia e que  foi minha maior descoberta nesta viagem - voltei pensando em retornar. Sua capital está localizada a 2850 metros acima do nível do mar, em um vale na serra - prolongamento de um vulcão. Quito é uma aula de História e Cultura.


Paisagens vistas a caminho de Otavalo

Pedro e eu estivemos  cinco dias na Capital e um dia em Otavalo, uma cidadezinha encantadora, com cerca de 30 mil habitantes, distante 100 quilômetros ao norte de Quito. Otavalo é famosa por seu mercado tradicional indígena, que eu acredito ser o maior o maior da América do Sul. Vende malhas feitas à mão, de excelente qualidade, por preços bastante acessíveis - como dois pares de luvas que eu comprei, pagando 8 dólares. O percurso - Quito/Otavalo - é inesquecível : vulcões, montanhas, lagoas e , de quebra, uma população indígena que guarda sua cultura e suas tradições. Passeio imperdível.



Metade do Mundo

Outra atração de Quito - talvez a mais procurada e conhecida dos turistas - fica a 20 km do norte da capital : é a Mitad del Mundo, por onde se supõe que passe a linha do Equador, dividindo os hemisférios em norte e sul. Trata-se de um parque, construído em 1979, bonito e bem cuidado, em que os turistas fazem fotos com um pé no norte e outro no sul. Excelente escolha para estudantes, crianças e adolescente.


Detalhe da grandiosa Basílica de Quito

Visitei igrejas fantásticas no Equador. A Igreja da Companhia de Jesus, entretanto, supera não só àquelas que vi em Quito, mas também todas as outras do período colonial que eu conheço, inclusive as que vi no México. Tem ornamentação riquíssima e obras de arte  raras em igrejas, como uma representação de Deus, junto ao Menino Jesus, Maria e José ou um impressionante quadro com o Diabo, os pecadores e os pecados capitais por eles cometidos. Lamentei muito a proibição de fazer fotos no interior dessa igreja.



A Ternura - Oswaldo Guayasamin
Dois momentos de envolvente beleza que vivi no Equador foram a visita à  Fundação Guayasamin e o desfile alusivo ao aniversário de Quito. Oswaldo Guayasamin, maior artista equatoriano, é o autor do grande mural, bastante conhecido, que está no aeroporto de Barajas, em Madrid. Escrevi  um post sobre ele aqui: http://correndomundo.blogspot.com.br/2016/12/fundacao-guayasamin-visita-recomendada.html. Desejo muito voltar ao Equador, rever o que já vi  e conhecer Cuenca, Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. " Gracias a la vida..." pelos belos recorridos de 2016.


Jardim interno do Museu Botero