segunda-feira, maio 29, 2017

Bella Sicilia! Introdução


Monreale

De Madrid para Sicilia, viajei pela Ryanair, empresa área que tem sido para mim uma roubada na hora do embarque. Atendimento péssimo, com gente grosseira, sem educação e sem treinamento para o trabalho que realiza. O vôo, com duração de três horas, foi bom, ou melhor, tão bom quanto um low cost consegue ser. Estávamos, porém, chegando na Sicilia, onde eu não vinha desde 2008. Estar nesta ilha compensa qualquer dissabor da viagem.


Palermo

Trajeto demorado do aeroporto de Punta Raisi ao centro. Chegamos, minha amiga Isolda e eu, em Palermo no dia em que fazia 25 anos do assassinato do juiz Falcone. Na cidade, trânsito pesado, muitos policiais na rua. Havia sido assassinado um homem, que andava de bicicleta e que ( segundo li em jormais do dia seguinte) era bem conhecido na Sicilia. O assassinato aconteceu em pleno centro da cidade, no meio da tarde. Por sorte, o taxista que nos conduzia, foi bastante hábil em se afastar rapidamente do local onde o crime ocorrera.


Cefalú

Estaremos, na Sicilia, durante 16 dias: metade em Palermo; metade em Catânia. Temos um roteiro bastante denso, que inclui Palermo, Monreale, Bagheria, Cefalú, Trapani, Erice, Agrigento, Catânia, Taormina, Piazza Armerina, Noto, Messina, Ragusa, Siracusa e Enna.  Viajando de trem ou de ônibus, conhecendo ou revendo cidades fantásticas, Estamos todos bem, como diz o título do filme de Giuseppe Tornatore, famoso diretor de cinema, nascido em Bagheria,  cidade em que já estivemos.


Bagheria

Parece-me que vou conseguir escrever diariamente no Correndomundo. Às vezes o sono é mais forte ... e durmo sem postar nada. Mas vou tentar ser pontual. Assim sendo, poderão - familiares e amigos - serem nossos acompanhantes nesta viagens, como aconteceu em outras. A temperatura é perfeita, entre 18 e 24 graus. As frutas, deliciosas. A comida...merece um capítulo só para ela.


De Trapani para Erice
Sicília é a ilha mais importante do Mediterrâneo, muito povoada - mais de 5 milhões de habitantes - e com grande extensão. Está numa encruzilhada, parte da Europa e parte da África. Tem uma superfície de 25.460 km, que se amplia com os arquipélagos vizinhos, incluindo Lampedusa, tão conhecida nossa por tristes acontecimentos ( http://migramundo.com/lampedusa-a-porta-da-europa/ ) 


Trapani

A pergunta recorrente é sobre custos de permanência e tempo necessário para ver ao menos uma parte da ilha. Sicília não é um lugar de custo alto. Há hoteis e restaurantes variados para analisar e escolher. Os preços, a meu ver, rivalizam com cidades médias do continente. O transporte é bem acessível, tanto em trem quanto em ônibus. O tempo necessário para visitá-la depende da disponibilidade, da ansiedade e do desejo de cada. Já estive 20 dias aqui e saí frustrada pelo muito que eu deixara de ver. Ficarei 16 dias nesta viagem e novamente faltará tempo para ir às ilhas. A sugestão é a mesma de sempre: informem-se muito antes de estabelecer um roteiro. Detalharei cada cidade em posts separados.


Erice
"Outrora eu era daqui, e hoje regresso estrangeiro,
Forasteiro do que vejo e ouço, velho de mim.
Já vi tudo, ainda o que nunca vi, nem o que nunca verei.
Eu reinei no que nunca fui..."


Fernando Pessoa 



Palermo

domingo, maio 28, 2017

Alicante/Alacant : Capital da Costa Blanca

Passeio Marítimo de Alicante

Estive muitas vezes em Alicante, em férias ou para visitar meu grande amigo Alfredo Mussa Valladares, que havia escolhido esta cidade para viver até o fim de seus dias. Conheço muito bem a cidade e, por isso mesmo, considero-a, juntamente com a região, um dos melhores lugares da Espanha para morar. Isolda, Duda e eu saímos de trem,  bem cedo, de Valência para este bem aproveitado bate-e-volta. Duas horas depois, já traçavamos a Explanada de España.


Grandiosa fonte no início da Explanada 
Da Estação de Alicante, fomos direto ao Passeio Marítimo ( Explanada de España ), que tem 500 metros de comprimento, que foi construído sobre um antigo dique da cidade e que está ladeado por quatro filas de altíssimas palmeiras. É lugar tradicional para passeios, caminhadas, encontros de amigos -  há cadeiras disponíveis que as pessoas organizarem-se como preferirem.


Escultura em frente à Marina de Alicante

O Passeio Marítimo está nas proximidades da Marina de Alicante. Há beleza por todo o lado. Além das belezas naturais, vêem-se muitas fontes , esculturas e monumentos. Foi, no entanto, a escultura da foto acima a que mais me comoveu. Parece-me que está denominada O Viajante, mas passei a chamá-la de Acolhida - porque assim eu gostaria de ser esperada...


Vista parcial da Marina de Alicante

A cidade de Alicante é banhada pelo Mediterrâneo. Chove pouco - uma média de 15 dias de chuva por ano. A temperatura é amena e agradável - média anual de 20 graus. Está muito bem localizada na região, perto de lugares lindos como Benidorm ( a praia preferida de meu filho), San Juan, Santa Pola (onde se pode visitar as salinas) , Alcoi ( ótimo para comprar torrones de almendra ), Villajoyosa, Altea, Torre Vieja, Elda ... Quem quiser viajar um pouco mais longe, pode ver La Manga e Cartagena.


Próximo à Marina, treinamento de remadores.

Ao redor de 300 mil pessoas vivem em Alicante, cidade com mais de três mil anos, que sofreu altos e baixos obviamente, durante esse tempo. No tempo dos Reis Católicos, chegou a ser o terceiro maior porto da Espanha, depois de Barcelona e Cádiz. Em um dos ataques que sofreu  - Guerra de Sucessión - parte do Castelo de Santa Bárbara foi destruído. O sistema de trens, que conectou Alicante ao centro da Península (meados do século XIX ) ampliou seu desenvolvimento. Hoje a prestação de serviços e o setor turístico tornam-na uma cidade moderna e com boa qualidade de vida.


Detalhes do Castelo de Santa Bárbara

O imponente Castelo de Santa Bárbara, do alto do Monte Benacantil, cuja altura é de 166 metros, é o monumento mais emblemático da cidade. Originado de uma fortaleza árabe do século IX, ganhou esse nome por ter sido conquistado por Afonso de Castilla no dia 4 de dezembro de 1248, dia de Santa Bárbara. Recebeu ampliações e sofreu danos. Na Guerra Civil Espanhola, serviu como prisão. Esteve semiabandonado até 1963, quando foram construídas outras formas de acesso a ele. Hoje, uma parte dele,  acolhe o Museu da Cidade de Alicante.

Vista Parcial de Alicante desde o alto do Castelo de Santa Bárbara

O Castelo pode ser visto de qualquer ponto da cidade. Diz-se que do Bairro Santa Cruz uma curiosa figura pode ser vista: a Cara do Mouro, que inspirou muitas lendas trágicas. Uma delas conta que a Princesa Zahara, filha única do dono do Castelo, suicidou-se, jogando-se desde o alto, quando soube que seu pai havia matado o homem que ela amava e que era filho cristão do pior inimigo de sua familia. O pai, não suportando a dor da perda, jogou-se também da mesma ladeira do Monte Benacantil. Seu perfil ficou gravado na rocha como uma recordação de sua crueldade. 

Poço do Castelo

Sou fascinada por figueiras, dessas que dão figos mesmo. Plantei-as em todas as casas onde morei. Procuro-as em fortalezas, castelos, muros e  igrejas, e sempre as encontro nesses lugares. Árvore da sabedoria, dizem. Aqui, no Castelo de Santa Bárbara , encontrei várias, lindíssimas, algumas que brotaram em meio a pedras - seculares seguramente ( fotos abaixo).


Figueiras no Castelo de Santa Bárbara

Há muitos museus, como o Museu da cidade de Alicante, o Museu da Universidade. o Museu de Águas e o Museu de Arqueologia;  há muitas  igrejas, como a Basílica de Santa Maria e a Catedral de San Nicolás; há  palácios magníficos, ramblas, praças, parques e teatros, muitos que, desta vez , não foi possível visitar. Quero , entretanto, destacar dois deles: o Mercado Central e a Plaza de los Luceros ( importante ponto de ônibus também).



Mercado Central
Se lhes interessa um lugar fotogênico, multicolorido, com gente da localidade, não deixe de ir ao Mercado Central, na Avenida Afonso X el Sabio ( sic!), onde se encontram flores, frutas, peixes, carnes,  muitos queijos e produtos gourmet. Foi construído no início do século XX e mostra alguns elementos modernistas. Visita bem interessante.


Mercado Central
Para quem curte praia ou esportes aquáticos ou não, Alicante é uma indicação a considerar. Cidade tranquila, com invejável gastronomia - em que o arroz, com múltiplas variações, é o protagonista. Em toda a Espanha, não há torrones tão deliciosos quanto os alicantinos. É , ainda, um lugar indicado para passeios nas redondezas e para compras também. Alicante é uma das cidades que eu amo de paixão.

Monumento bonito, embora o tema não me agrade.

" Ter pressa é não saber chegar.
Vou devagar.
Vou devagar porque o que é sorte,
E o que é morte,
Não as busco, não as evito,
Vem-me buscar.
Por isso vou sob o infinito
Sem me apressar."

Fernando Pessoa



segunda-feira, maio 22, 2017

Valência das Fallas e das Laranjas

Praça de Touros ao lado da Estação Norte

Vai-se de Madrid a Valência em 1h 48 min, num trem AVE de alta velocidade, que para na Estação Joaquim Sorolla, de onde ônibus gratuitos transportam passageiros até a Estación del Norte - antiga e belíssima, construída em 1906/1917,  externamente toda decorada com desenhos de flores de laranjeira. 


Campanário da Catedral

Com uma população ao redor de 800 mil habitantes, Valência foi fundada pelos romanos em 138 a.C. e depois conquistada pelos mouros. Alcançou seu  auge econômico e cultural nos séculos XIV e XV, quando foram construídas a Catedral, as Torres de Serranos e a Lonja, famosa bolsa de mercadorias. Suas muralhas medievais foram demolidas no século XIX. 


Detalhe da Catedral
Para iniciar uma visita a Valência, pode-se partir da Estação Norte e ir até a muito próxima Praça da Prefeitura ( Ayuntamiento), onde, além de várias e interessantes floriculturas, encontram-se dois magníficos edifícios: o da referida  Prefeitura e o dos Correios. Melhor  sugestão ainda: já comece a visita pela própria Estação e pela Praça  de  Touros que está ao lado dela. 


Estação do Norte

Com longa relação do que ver e dependendo de sua disponibilidade de tempo, faça suas escolhas, mas, por favor, não deixe de lado La Lonja de la Seda, edifício gótico valenciano. declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e o Mercado Central, admirável construção em que se usou muito  ferro e vidro.


Detalhes do interior da Catedral
( Faço parênteses para revelar uma patetice minha, que muito prejudicou o registro da visita a Valência: esqueci a memória da câmera no computador em Madrid. Deslumbrada com a visão de vários lugares, fiz muitas fotos....sem memória...minha e da câmera. Numa livraria, consegui comprar outra memória, mas não havia tempo de retorno aos lugares anteriormente fotografados. Minhas desculpas! )


Catedral

Além de ver a Catedral de Valência e a Basílica da Virgem dos Desamparados, selecione alguma outra igreja para ver - porque são muitas e são excelentes museus a serem visto. Perto da Catedral , está a Plaza de la Reina, um dos espaços mais movimentados da cidade, onde , por sorte porque eu não tinha a info, vi bonita exposição de cerâmicas da região.


Coloridas cerâmicas valencianas

Procure ver, ainda, o majestoso Palácio dos Arcebispos, as Torres de Serrano, muitas outras igrejas, palácios, museus, praças, jardins e a movimentação, alegre e animada, dos valencianos e dos muitos turistas nacionais e internacionais. Experimente a legítima paella valenciana ( é claro! ). Garanto-lhes que será inesquecível. 

Detalhe do Centro Histórico


Duas atrações  -  uma permanente, outra anual -  fazem sempre com que  lembremos Valência : Cidade das Artes e das Ciências e as Fallas. A primeira atração, um grandíssimo complexo arquitetônico cujo projeto foi desenhado por Santiago Calatrava e  Felix Candela. Inaugurado em 1998, tornou-se um sucesso entre valencianos e turistas. 


                                       Cidade das Artes e das Ciências - Foto: Isolda Branco


A segunda, uma festa típica e satírica que acontece todos os anos no mês de março, anual, quando grandiosas esculturas, construídas com papelão ou restos de madeira, são queimadas em lugares previamente determinados. 


                                                                                      Trajes típicos

Valência deve ser visitada e admirada. Conhecida ela é: quem nunca ouviu falar em laranja valenciana?

                                    Cidade das Artes e das Ciências - Foto: Isolda Branco

domingo, maio 21, 2017

Rosaleda no Buen Retiro - Madrid



Roseirais do Parque Buen Retiro

Visitar o Parque del Buen Retiro é uma boa ideia. Visitá-lo, durante o mês de abril, é uma super boa ideia. Além do Parque ser fantástico sempre , no final do inverno reveste-se  com verde-verde, de tonalidades diversas. Acresce-se a isso as flores multicoloridas, distribuídas por todo o espaço. E lá estão a Rosaleda ou Roseiral...


Rosaleda

Denomina-se rosaleda ou roseiral  a  jardins  onde se cultivam exclusivamente rosas. Há rosaledas ou roseirais em vários países - um dos mais famosos, porém, parece-me ser o Jardim de Ramón Ortiz, a Rosaleda de Madrid, cuja extensão é de 32 mil metros quadrados, que se localiza no oeste do Parque Bom Retiro.




Portais ao longo do Jardim

Nesse espaço, estão alojadas 600 variedades de rosas, num total que supera 20 mil roseiras, num jardim mantido pela Prefeitura. No mês de maio, todos os anos, desde a criação dessa rosaleda, acontece o Concurso Internacional de Rosas Novas da Cidade de Madrid. As variedade premiadas passam a fazer parte da coleção permanente deste jardim.




Harmoniosos conjuntos em todo o jardim


Um passeio à Rosaleda de Madrid  é  um presente raro aos sentidos. Logo na entrada, já se sente o delicado perfume das flores. Cores e formas encantam - um lugar para estar ao menos um par de horas. Ainda se pode ver a diversidade da cultura dos visitantes, oriundos de muitos países, expressa externa e principalmente pelo vestuário.


Muitas visitas

Minhas amigas, Isolda e Duda, e eu visitamos o Parque de Bom Retiro numa quarta-feira. O grande número de visitantes dava a impressão de ser sábado ou domingo. Além das rosas serem lindíssimas, o verde-jovem das folhas vindas com a primavera davam ao Jardim, assim como ao Parque todo, aquela vontade de viver  bem, oferecida pelos espaços bonitos e tranquilos.







"Elas são vaporosas,
Pálidas sombras, as rosas
Nadas da hora lunar...
Vêm, aéreas, dançar
Com perfumes soltos
Entre os canteiros e os buxos...
Chora no som dos repuxos
O ritmo que há nos seus vultos...
Passam e agitam a brisa...
Pálida, a pompa indecisa
Da sua flébil demora
Paira em auréola à hora...
Passam nos ritmos da sombra...
Ora é uma folha que tomba,
Ora uma brisa que treme
Sua leveza solene..."
Fernando Pessoa




quarta-feira, maio 17, 2017

Madrid/2017Frutas

Laranjas Cristalizadas

Meu segundo dia em Madrid, nesta temporada 2017 - dia de organização para os próximos três meses. Começo pela tarjeta dorada, aquele bendito cartão que dá - para pessoas com 60 ou mais anos de idade - 40% de desconto em todos os trens, de segunda a sexta, e 25 %, nos fins de semana.Basta ir a Estação de Trens ( fui a Atocha ) e levar um documento de identidade. Em 5 min, a gente já sai com a carteirinha, que  passa, então, a apresentar na compra de qualquer bilhete de trem.


Kiwi cristalizados
Vivo cerca de 20 metros de uma estação de metrô ( Gran Via ). Outra compra necessária e que imediatamente eu fiz,  foram os  bilhetes de metrô. Um cartão com 10 viagens , na região central, custa 12,60 euros. 

Abacaxis cristalizadas

Falta , ainda, ir a El Corte Ingles, o grande magazine conhecido como o queridinho dos brasileiros, onde, mediante apresentação do passaporte, passa-se a acumular 10% dos gastos feitos em qualquer setor, para serem posteriormente resgatados. 


Cerejas cristalizadas

Viajei pela TAP - Porto Alegre / Lisboa / Madrid. Vôo tranquilo. Dormi pouco, estava preocupada e triste com doenças na minha família. Como diz a Neneca, parte da aventura de estar vivo. Logo na chegada, desfiz a mala e senti-me em casa.


Pomelo cristalizado

Dias lindos. Calor agradável. Muita gente nas ruas. Variedade de frutas. Como sempre, Madrid é uma bela cidade no verão...e nas outras estações também. Viajo este ano com duas maravilhosas amigas: Duda e Isolda, pessoas com alegria, disponibilidade, autonomia e experiência de correr mundo. Tentarei manter este blog atualizado e responderei a qualquer pergunta ou dúvida. 




"Eu amo todas as coisas, umas mais do que as outras —
Não nenhuma mais do que outra, mas sempre mais as que estou vendo
Do que as que vi ou verei.
Nada para mim é tão belo como o movimento e as sensações.
A vida é uma grande feira e tudo são barracas e saltimbancos.
Penso nisto, enterneço-me mas não sossego nunca."

Fernando Pessoa

Frutas cristalizadas - Estação de Atocha - 100 gr = 3,80 E

segunda-feira, maio 15, 2017

Para Família, Amigos e Leitores do Correndomundo

Áustria - Viena
“Parto com a certeza de deixar para trás motivos suficientes para o não fazer. Mas um sonho tem a força de transformar uma ideia em algo imperativo, inadiável, inquestionável. Aterrorizar-me-ia chegar tarde na vida com a tortura do pensamento: 'quem me dera ter feito aquela viagem…’” 

Alma de Viajante
newsletter@almadeviajante.com



Àustria - Salzburg
PS. Darei notícias assim que chegar . Beijos. Aldema

Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já me não dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia
Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já me não dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia