sexta-feira, fevereiro 17, 2017

Sugestão de Roteiro de Viagem 02: Costa da Califórnia

Pacific Road - 01 - Monterey

Considero San Diego o melhor ponto de partida para percorrer a Costa da Califórnia e chegar até San Francisco. Voando por  Chicago - Denver, chegamos a San Diego, onde locamos um carro e fizemos os 808 km ( 502 milhas ) , pela cênica Pacific Coast Highway ou Califórnia State Route, durante oito dias, viajando poucas horas diárias e parando em lugares fantásticos.


San Diego

Partindo de San Diego, uma meia hora ao norte do centro dessa cidade,  por uma estrada muito movimentada, certamente porque era verão, chegamos a La Jolla, que tem praias famosas da região.  O passeio é interessante, o Pacífico é bonito de ver - como o são todos os oceanos - as casas mostram jardins bem cuidados e belos arranjos florais. A Prospect Street , a rua mais admirada, tem um comércio de grifes conhecidas e muitas galerias de arte. 


La Jolla - detalhe

"Soube  da existência de San Juan Capistrano pela Valéria, minha nora, que me contou da old mission e da beleza dos seus jardins. Quando revisei o plano de viagem à Califórnia, incluí essa pequena cidade, com  35 mil habitantes, no roteiro. Tivemos a sorte de encontrar um bom hotel logo na chegada. Encontramos, ainda, vários restaurantes na rua principal. Escolhemos um italiano, com música ao vivo - bem agradável. No dia seguinte, cedo, fomos visitar a Old Mission ( www.missionsjc.com ) . Ainda na frente dos prédios, antigos e majestosos na sua simplicidade, admirei a altura e a estética das diferentes palmeiras que ornamentam o lugar desde as calçadas."


San Juan Capistrano - Antiga Missão


"Fundada pelo espanhol, nascido na Ilha de Mallorca e hoje nome de rua em várias cidades americanas, Padre Junipero Serra , em novembro de 1776, Capistrano guarda  -  além de objetos originais, como os sinos usados para chamar a população a participar de diferentes eventos religiosos e comunitários; os documentos que relatam a história das missões na Costa da Califórnia; e obras de arte, como algumas esculturas e pinturas de muito boa qualidade e conservação - muitas lendas sobre fantasmas que percorrem a cidade e a própria missão."





Detalhes dos jardins de San Juan Capistrano


"Foram os jardins, no entanto, a razão principal do meu encantamento pelo lugar. Inicialmente, eram fontes de sustento com a plantação de frutas, verduras, ervas perfumadas e/ou medicinais- como sálvia, alecrim, lavanda e manjericao.  Essas plantas tradicionais se mantêm nos jardins, embora sejam as flores que dominem os espaços, principalmente as rosas . Entre as árvores de vários países, o Brasil está representado por um belo e antigo Jacarandá.





Jardins da Missão 

Interessante saber que são homens e mulheres da localidade que, com trabalho voluntário, anualmente plantam, replantam, cuidam e conservam os fotogênicos jardins. Todas as quartas-feiras, pela manhã, estão lá os voluntários jardinando - um trabalho que aprendi a valorizar muito depois do ano passado, quando ajudei minha cunhada a plantar mais de trezentas plantinhas num jardim público, em Michigan. Foi  com esse trabalho também que descobri o quanto Advil é bom para dor nas pernas e nas costas"...http://correndomundo.blogspot.com.br/search/label/La%20Jolla%20e%20San%20Juan%20Capistrano




San Juan Capistrano

Nossa próxima parada foi  Santa Bárbara, uma tranquila cidade, com cerca de 100 mil habitantes, situada no sul da Califórnia e originada da Santa Barbara Mission, a décima missão construída pelos espanhóis ( 1786) e a única que nunca deixou de ser ocupada. A fachada clássica  da Mission foi projetada por um padre italiano, Antonio Ripoll, que se inspirou num arquiteto italiano ( 27 a.C.). As estátuas são de madeira entalhada. O interior é neoclássico com colunas que imitam mármore.O conjunto impressiona.



Santa Bárbara - Jardins Sagrados

Muitas vezes chamada Rainha das Missões, Santa Bárbara é a mais visitada de todo o estado. Seu estilo passou a ser conhecido como o estilo das missões, tanto pelas suas duas torres, quanto pela mistura de romano, mourisco e espanhol. A estrutura atual, entretanto, tomou essa forma após a reconstrução, que foi necessária depois do terremoto ocorrido em 1812. Na frente da missão, há um grande espaço com plantas, uma bonita fonte e algumas estátuas, incluindo a de seu fundador.  O lugar é bem interessante para passear e descansar, antes de voltar às movimentadas estradas da Costa.



Santa Bárbara


Depois de Santa Bárbara, decidimos dormir em Solvang. Inicialmente pensávamos em continua pela 101. ir até Buelton e, de lá, percorrer os 6 km que nos levaria a essa pequena e bonita cidade. O Santo GPS decidiu diferente: tomamos a State Route 154, com pouco movimento, paisagens lindas  e vista do lago Caxumah e chegamos a Solvang cujo nome significa campos ensolarados. Parece ter sido esse nome, dado pelos dinamarqueses que se estabeleceram inicialmente numa fazenda, próxima à Missão de Santa Inês, e que atraíram outros dinamarqueses que se dispuseram a seguir um projeto arquitetônico, diferenciado das fazendas locais, e  a manter elementos culturais da Dinamarca.



Centrinho de Solvang 


Solvang é uma cidade muito limpa e florida e que tem, no seu encantador centrinho, uma  homenagem a Hans Christian Andersen ( 1875 ) , o dinamarquês que se tornou conhecido através seus contos infantis, como A Pequena Sereia , O Patinho Feio e O Soldadinho de Chumbo. Seu povo  é gentil e educado - o que pode ser observado no  trânsito tranquilo, onde  até as bicicletas dão preferência aos pedestres. 



Big Sur - estrada secundária 


Foi lindo viajar pela  belíssima carretera 01 - a mais fotogênica da Costa - entre Monterrey e Carmel-vale uma reserva maior de tempo para seu percurso. Para-se muitas vezes por puro encantamento. Monterrey é fantástico, mas Carmel rouba a cena. Como não pernoitar na cidade em que foi prefeito meu ídolo  Clint Eastwood, ator e diretor de inesquecíveis filmes? Sobre Carmel, pode-se ler muito mais em: http://correndomundo.blogspot.com.br/search/label/Carmel


Carmel

Carmel  e 17- Mile Drive ( Pebble Beach ) ocuparam nosso tempo além do previsto. Por essa razão, nossa visita a Monterey , cidade onde sabemos que há muito o que ver, foi rápida e superficial - apenas almoçamos lá e ficamos poucas horas. Na Costa da Califórnia, encontrei muitas tendas, vendendo produtos orgânicos que me pareceram de muito boa qualidade. Frutas, como maçãs, peras e uvas, e legumes. Foi o Estado onde mais encontrei preocupações com alimentação e propaganda de alimentos saudáveis e naturais - incluindo sucos  e sorvetes deliciosos. Antes de chegar em São Francisco, dormimos em Sam Mateo.


Los Angeles visto da rodovia



Com a decisão de não dormir em Los Angeles - cidade  com que eu antipatizo - optamos por dormir em Santa Mônica, cidade localizada no condado de Los Angeles, no alto de um penhasco, com vista privilegiada para a Baía do mesmo nome. Santa Mônica é propícia  a compras. Uma tentação! Além de grandes shoppings onde estão as mais famosas lojas de departamento do país e onde se encontram também valiosos antiquários e galerias de arte. 





Haight - Ashbury : berço do Paz e Amor


"Ao longo do Oceano Pacífico e da Baía que lhe dá o nome, a cidade de San Francisco, que tem cerca de um milhão de habitantes e harmoniosa combinação entre natureza e arquitetura, encanta à primeira vista. E esse encanto só aumenta à medida que a gente a conhece melhor. Há muito o que ver - .e vimos mil  coisas interessantes, como a  Lombard Street. Fantástica. Trata-se de uma colina, bastante íngreme, em que os carros tinham muita dificuldade de transitar. Em 1920, a solução encontrada foi refazer o trecho, próximo ao topo do Russian Hill, acrescentando-lhe oito curvas, com ajardinamento de hortênsias, nos intervalos. Hoje, os carros só podem descer essa que é chamada a rua mais sinuosa do mundo - os pedestres usam uma escadaria."



Lombard Street

San Francisco é uma das poucas cidades dos Estados Unidos onde se dispensar o uso de carro para nela locomover-se. Tem ótimo sistema de transporte público. Entregamos o carro, alugado em San Diego, assim que chegamos. Mais do que usar transporte público, contamos com a gentileza, o carinho e o companheirismo de meu primo, Claudius Ribeiro Ramos, antigo morador da cidade e apaixonado por ela.


Golden Gate - ida para Sausalito

De São Francisco, fizemos um voo para Portland, a criativa e humanizada cidade do Estado de Oregon. Havíamos feito uma viagem marcante, inesquecível - a melhor das tantas que fizemos nos Estados Unidos - país em que Ronald e eu,moramos, na primavera e no verão, durante cinco inesquecíveis anos. Ver http://correndomundo.blogspot.com.br/search/label/San%20Francisco



Santa Bárbara
Há muito mais o que ver-viver-admirar nesta magnífica e deslumbrante Costa da Califórnia, como San Simeón ( só não tive vontade de ver o Castelo Hearst, o famoso delírio de um milionário ) , Santa Cruz, Pebbe Beach as baías e a enseada  de Jade Cove...e muito mais. San Francisco está entre as minhas dez cidades favoritas no mundo. A Costa da Califórnia é roteiro recomendado sempre.


Pacific Road

"Quando vier a Primavera, 
Se eu já estiver morto, 
As flores florirão da mesma maneira 
E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada. 
A realidade não precisa de mim."

Fernando Pessoa


Emblemático lugar
  

sábado, fevereiro 11, 2017

Fernando Pessoa - para desejar-lhes bom fim de semana

Mosteiros de Meteora - Grécia


"Não tenho pressa: não a têm o sol e a lua.
Ninguém anda mais depressa do que as pernas que tem.
Se onde quero estar é longe, não estou lá num momento.
Sim: existo dentro do meu corpo.
Não trago o sol nem a lua na algibeira.
Não quero conquistar mundos porque dormi mal,
Nem almoçar o mundo por causa do estômago.
Indiferente?
Não: filho da terra, que se der um salto, está em falso,
Um momento no ar que não é para nós,
E só contente quando os pés lhe batem outra vez na terra,
Traz! na realidade que não falta!
Não tenho pressa. Pressa de quê?
Não têm pressa o sol e a lua: estão certos.
Ter pressa é crer que a gente passe adiante das pernas,
Ou que, dando um pulo, salte por cima da sombra.
Não; não tenho pressa.
Se estendo o braço, chego exatamente aonde o meu braço chega -
Nem um centímetro mais longe.
Toco só aonde toco, não aonde penso.
Só me posso sentar aonde estou.
E isto faz rir como todas as verdades absolutamente verdadeiras,
Mas o que faz rir a valer é que nós pensamos sempre noutra coisa,
E somos vadios do nosso corpo.
E estamos sempre fora dele porque estamos aqui."

Fernando Pessoa


Mosteiros de Meteora - Grécia


quinta-feira, fevereiro 09, 2017

" Dia Dois de Fevereiro..."

Rio Mampituba



Anualmente é bem comemorado em Torres, a mais bonita praia do Rio Grande do Sul, o Dois de Fevereiro, Dia de Iemanjá, a Rainha do Mar - por sincretismo religioso, conhecida como Nossa Senhora dos Navegantes. Neste ano, as festas estenderam-se por uma semana e foram realizadas juntamente com Passo de Torres, cidade de Santa Catarina, estado que tem como divisa natural do RS o rio Mampituba.





Como vivi sete anos em Salvador, na minha muito querida Bahia, aprendi a ver o Dois de Fevereiro como um dia especialíssimo. " Dia dois de fevereiro/ Dia de festa no mar / Eu quero ser o primeiro/ a saudar Iemanjá " diz a emblemática canção de Dorival Caymmi https://www.youtube.com/watch?v=h-FIMYp0eAM






A festa de Torres é singela, mas conta com a participação de turistas e moradores e com a devoção de muitos. Na noite do dia primeiro para o dia dois, as pessoas, vão à praia, levando oferendas para Iemanjá - predominam flores e sabonetes perfumados. Iemanjá  é vaidosa,dizem.






Nesse dia, grupos religiosos ocupam espaços nas praias de Torres, onde recebem adeptos e visitantes para abençoá-los e dar-lhes passes ou banhos de pipoca. Roupas tradicionais são usadas, principalmente pelas Mães de Santo; rosas são distribuídas para que sejam jogadas ao mar como oferendas - esperando que vinguem os pedidos feitos.




No dia dois, fui com minha sobrinha e meu sobrinho ( Chico e Giselda ) ao Passo de Torres para, a partir de lá, ver melhor o procissão dos barcos. Eram poucos, mas estavam bastante decorados e transportando muitas  pessoas. Como já escrevi, uma festa singela, que, no entanto, leva muita gente a participar e  que deve renovar esperanças e fé. Aos poucos, foi-se tornando mais uma  atração no período de veraneio.





"Dia dois de fevereiro
Dia de festa no mar
Eu quero ser o primeiro
A saudar Iemanjá






Escrevi um bilhete a ela
Pedindo pra ela me ajudar
Ela então me respondeu
Que eu tivesse paciência de esperar.







O presente que eu mandei pra ela
De cravos e rosas vingou







Chegou, chegou, chegou
Afinal que o dia dela chegou
Chegou, chegou, chegou
Afinal que o dia dela chegou. "


Dorival Caymmi



domingo, fevereiro 05, 2017

Bem-vindo, Fevereiro!

Portugal -  Tejo ao anoitecer

" Ter pressa é não saber chegar.
Vou devagar.
Vou devagar porque o que é sorte,
E o que é morte,
Não as busco, não as evito,
Vem-me buscar.
Por isso vou sob o infinito
Sem me apressar."

Fernando Pessoa


Barcelona - Catedral

quarta-feira, fevereiro 01, 2017

Sugestão de Roteiro de Viagem 01: Tunísia

Oásis de Montanha na Tunísia

Bem bonita foi uma viagem que fiz - há sete anos, com Ronald  -  pela  Tunísia, país africano, relativamente pequeno, muito fácil de ir pela proximidade dele com a Europa -   1h 30 min de vôo a partir de Roma - e muito interessante pela diversidade histórica, cultural e geográfica.


Sidi Bou Said - próximo a Tunis

Tínhamos contratado  um tour, com motorista e guia, por ser difícil - para motoristas sem experiência no país - de percorrer alguns caminhos, em especial no Saara, onde as estradas, com rapidez,  mudam seu curso, em razão dos ventos nas dunas. Sem ser o motorista, pode-se também, mais comodamente, apreciar a beleza e a variação da paisagem tunisiana.


Cartago

A Tunísia é um pequeno país em extensão, com onze milhões de habitantes, situado entre a Cordilheira do Atlas e o Mar Mediterrâneo. Possui 1300 km de costa e belas praias, frequentadas, principalmente, por europeus. O Saara ocupa 40% de seu solo. A base de sua economia assenta-se na exportação, em escala mundial, de fosfato,  de azeite de oliva e de tâmaras. 



Tapetes tunisianos
Assenta-se , ainda,  no turismo sempre crescente.  Parece-me, no entanto, que o maior tesouro tunisiano é constituído por seu patrimônio histórico, vinculado, entre outros,  a Cartago, que foi declarada Patrimônio da Humanidade, pela UNESCO, em 1979. correndomundo.blogspot.com.br/search/label/Tunis   


Detalhes de Cartago

Começamos nosso recorrido por Tunis, a cativante capital, bonita com sua antiga medina e sua longa avenida Habib Bourguiba, um político que aprendi a admirar. Bourguiba, laureado em Direito na França, foi Primeiro Ministro, logo depois que a Tunísia se tornou independente da França em 1956. Mais tarde, foi presidente do País, quando  estabeleceu políticas e programas de liberdade, respeito e promoção das mulheres.


Centro de Tunis

Importante para aquele meu Curriculum Religioso, que frequentemente menciono, foi Kairouan, declarada, pela UNESCO, em 1988, como Patrimônio Cultural da Humanidade - e com razão. É a cidade mais antiga da Tunísia , fundada em 670 d.C., e  a cidade muçulmana mais sagrada na África. Oqba Ibn Nafi, fundador da cidade, foi quem a declarou sagrada após "uma inspiração divina que lhe veio através de presságios".


Kairouan - detalhe da Mesquita

Há 43 km ao Sul de Gabes, visitei Matmata. É um vilarejo a 650 metros acima do nível do mar, onde vivem 5 mil berberes em casas trogloditas, e que ficou famoso como cenário do primeiro Guerra nas Estrelas. Distante 15 km dali, está a Nova Matmata que oferece elementares condições de hospedagem e alimentação.



Matmata - casas trogloditas

As casas trogloditas são construídas numa colina de arenito, seguindo o mesmo modelo há quatrocentos anos. Faz-se um buraco arredondado, que será o pátio central da casa – um pátio sem cobertura por onde entrará o sol. Ao redor desse pátio, são escavadas as diferentes partes da casa, como a cozinha e os quartos. Dar-se-á, ali, o controle natural da temperatura , que se manterá constante ao redor de 18 graus – no deserto essa temperatura chega a 50 graus.


Cenário de Guerra nas Estrelas, em Matmata

Chebika, Tamerza e Midès estão entre  os mais famosos oásis de montanha na Tunísia. Os três ficam bastante perto da fronteira com a Argélia e  perto também de Tozeur ( 60 km ). A viagem Tozeur/Chebika , entretanto, parece longa porque as estradas são tipicamente estrada de deserto, inclusive mudando seu traçado, algumas vezes, em função dos ventos. Tamerza é o maior oásis de montanha da Tunísia. Tem um panorama espetacular, que pode ser visto no filme O Paciente Inglês , dirigido por Anthony Minghella.


Oásis de Montanha

Tozeur é uma pequena cidade e interessante cidade próxima do Saara. Surgiu como um oásis de montanha e um ponto de paragem para as caravanas que vinham do subsaara fazer negócios com as cidades da costa do Mediterrâneo. Sua maior riqueza é o palmeiral – visitamos um que tem um milhão de palmeiras. A produção maior é da espécie denominada “ dedos de luz”, uma tâmara muito doce e quase transparente, preferida para exportação. A produção de tâmaras, a produção de fosfato, nas montanhas do Atlas,  e o turismo , principalmente internacional, constituem a base econômica da região.


Mesquita de Tozeur

Situada entre Mahdia e Gabes, na Costa leste , Sfax é a segunda maior cidade da Tunísia. Tem uma Medina impressionante, não só internamente como também externamente , pelo movimento e comércio no seu interior e pela extensão e imponência da muralha que a cerca. A arquitetura é mesclada com  estilos diversos, mas tem prédios interessantes, como o prédio da prefeitura. 



À moda tunisiana, usei proteção para o sol  intenso.

Monastir é uma cidade antiga, fundada pelos fenícios e com um belo passado histórico. Nela, podem-se ver fortalezas, mesquitas, palácios e muitos vestígios das civilizações fenícia e romana. Queria muito conhecê-la por ser a cidade onde nasceu  Habib Bourghiba ( 1903 ) e onde se pode visitar seu impressionante mausoleu.Uma bela visita com certeza. Saindo de Monastir, passamos por Sousse com destino ao Porto El-Kantaoui , o segundo maior porto do País. Kantaoui significa jardim e , de fato, esse porto tem flores, plantas e belezas de um grande jardim. 



Monastir - Mausoleu de Bourghiba



Distante cinco quilômetros do continente e cento e vinte quilômetros da Líbia, Djerba é uma ilha fantástica , situada no Golfo de Gabes. É a maior do Norte da África. Pode-se chegar a ela por barco ou usando Kantara, uma antiga ponte romana, feita para ligar o continente à Ilha. É conhecida por suas praias lindas, seu clima agradável e sua riquíssima história. Celebrada na Odisséia como a Terra dos Comedores de Lótus. Segundo a lenda, Ulisses esteve em Djerba e aqui perdeu parte de sua equipe porque eles, alimentando-se de flor de lótus, oferecida pelos nativos, esqueciam a Pátria Mãe e passavam a desejar viver na ali para sempre. No filme Guerra nas Estrelas, o deserto do planeta Tatooine, ninho de piratas e contrabandistas, teve seu cenário em Djerba - Correndomundo, DJerba



Sinagoga da Ilha  Djerba


A cidade de Sbeitla vive, em grande parte, dos viajantes e turistas que visitam as fantásticas ruínas romano-bizantinas de Sufetula - cujo destino é ser grandiosa em todos os tempos. Perto da moderna cidade de Sbleitla, encontram-se as ruínas dessa cidade romana,que teve grande prestígio, sendo, no seu início , uma cidade independente e tornando-se, depois, colônia romana. Seu início foi nos ultimos anos do século I.


Templos de Sufetula, cidade romana.


O grande interesse dos romanos por Sufetula tinha a ver com a excelente localização para o cultivo de oliveiras. Foi construída com pedras de coloração dourada - que ficam brilhantes ao sol! Depois dos romanos , vieram os bizantinos e, no século VII,  foi tomada pelos árabes.correndomundo.blogspot.com.br/2010/12/sbeitla.html




Detalhes da Mesquita de Kairouan 

El - Djem impressiona  como anfiteatro que está muito bem conservado, já que foi construído entre 230 e 238. Pareceu-me mais bem conservado que o Coliseu de Roma. As tomadas externas do filme O Gladiador foram feitas nele. Com capacidade 35 mil pessoas, era o lugar onde os governantes recebiam seus convidados,especialmente os integrantes das caravanas que cruzavam o deserto para fazer negócios com outros países da região. A fera vinha em jaula, por um sistema de roldanas,  até o palco onde era solta na presença do gladiador que a enfrentava. Há uma pequena porta por onde eram retirados os mortos.



Anfiteatro de El - DJem

Tunísia tem bons hoteis, bons restaurantes e outros lugares que justificam uma visita, como as cidades de Hammamet e Sousse; Douz, onde se pode contratar um passeio de camelo pelas dunas; o deserto de sal, Chott el Jerid, em que se pode assistir ao fenômeno das miragens.


Douz

Para compras, a Tunísia é um país de muitas tentações. Há tapetes lindos, especialmente em Kairouan; há belíssimas reproduções de paineis de mosaico e há cerâmicas  e joias  lindas na Ilha DJerba. Minha compra maior - e mais deliciosa - foram, entretanto,  pacotes e pacotes de tâmaras dedos de luz. Realmente, esta é uma interessante sugestão de roteiro. Boas Viagens!


Fronteiras

"A ideia de viajar seduz-me por translação, como se fosse a ideia própria para seduzir alguém que eu não fosse. Toda a vasta visibilidade do mundo me percorre, num movimento de tédio colorido, a imaginação acordada; esboço um desejo como quem já não quer fazer gestos, e o cansaço antecipado das paisagens possíveis aflige-me, como um vento torpe, a flor do coração que estagnou.
E como as viagens as leituras, e como as leituras tudo... Sonho uma vida erudita, entre o convívio mudo dos antigos e dos modernos, renovando as emoções pelas emoções alheias, enchendo-me de pensamentos contraditórios na contradição dos meditadores e dos que quase pensaram que são a maioria dos que escreveram. Mas só a ideia de ler se me desvanece se tomo de cima da mesa um livro qualquer, o facto físico de ter que ler anula-me a leitura... Do mesmo modo se me estiola a ideia de viajar se acaso me aproximo de onde possa haver embarque. E regresso às duas coisas nulas em que estou certo, de nulo também que sou — a minha vida quotidiana de transeunte incógnito, e aos meus sonhos como insónias de acordado. E como as leituras tudo... Desde que qualquer coisa se possa sonhar como interrompendo deveras o decurso mudo dos meus dias, ergo olhos de protesto pesado para a sílfide que me é própria, aquela coitada que seria talvez sereia se tivesse aprendido a cantar."

Fernando Pessoa


Tradicionais " flores"